• Compartilhar Facebook
  • Compartilhar Twitter
  • Compartilhar GPlus
  • Compartilhar Whatsapp
  • Compartilhar Instagram
  • Compartilhar Snapchat
  • Compartilhar Telegram
  • Assinar Rss
  • Assinar Rss

O Vaticano anunciou hoje a apreensão de documentos para apurar investigação sobre investimentos imobiliários

-2233

Cidade do Vaticano, 18 fev 2020 (Ecclesia) – O Vaticano anunciou hoje a apreensão de documentos e equipamentos informáticos no escritório e na casa de mons. Alberto Perlasca, antigo responsável administrativo pela I secção da Secretaria de Estado.

A medida judicial foi “tomada no contexto da investigação sobre investimentos financeiros e no setor imobiliário da Secretaria de Estado”, refere uma nota divulgada pela sala de imprensa da Santa Sé.

As investigações surgiram “dos primeiros interrogatórios aos funcionários investigados e suspensos” em 2019.

O gabinete do Promotor de Justiça do Vaticano e o corpo da Gendarmaria continuam investigações e atividades de cooperação com “autoridades estrangeiras de investigação”, acrescenta a nota.

Abrindo o ano judicial do Vaticano, no último sábado, o Papa referiu-se a esta investigação relativa à gestão de fundos e propriedades (como a da Sloan Avenue, em Londres), falando de “situações financeiras suspeitas, que além da de natureza ilícita, são difíceis de conciliar com a natureza e os propósitos da Igreja”, tendo gerado “desorientação e mal-estar na comunidade dos fiéis”.

Francisco saudou que os primeiros passos tenham sido dados por “autoridades internas do Vaticano”, nos setores de economia e finanças.

“Isso demonstra a eficácia e eficiência das ações de aplicação da lei, conforme exigido pelos padrões internacionais”, acrescentou.

A 23 de janeiro, o novo presidente da Autoridade de Informação Financeira (AIF) do Vaticano anunciou que o Estado foi novamente admitido no Grupo Egmont, organização global das autoridades financeiras nacionais.

A AIF tinha sido suspensa em novembro de 2019, após a polémica ligada à venda de um imóvel em Londres, que levou à demissão da anterior direção deste organismo.

Carmelo Barbagallo, nomeado presidente da AIF pelo Papa Francisco a 27 de novembro de 2019, considera que a readmissão no circuito informativo internacional ‘Egmont Secure Web’ representa um “testemunho da confiança” dos responsáveis do grupo no sistema do Vaticano.

A 1 de outubro de 2019, a sala de imprensa da Santa Sé anunciou que a Justiça do Vaticano apreendeu documentos e material informático na Secretaria de Estado e Autoridade de Informação Financeira.

Fonte: http://agencia.ecclesia.pt

Compartilhe!

Contador de Cliques