Cantiga por um ateu

Padre zezinho

D
Um grande amigo meu
Que a sua fé perdeu,
                                          A
No dia de Natal me procurou.
D
Contou-me a sua vida
Tão cheia de incertezas
Com tanta honestidade
    A
Que me fez chorar.
		   G
E a lágrima teimosa caindo no meu rosto
       D                     A                  D
Lavou meu preconceito de cristão.

REFRÃO

D					   A
Eu sei que da verdade eu não sou dono,
                                        D
Eu sei que não sei tudo sobre Deus.
                                           A
Às vezes, quem duvida e faz perguntas,
                                     D
É muito mais honesto do que eu.


D
Ao grande amigo meu
Que a sua fé perdeu,
                                          A
No dia de Natal me confessei.
D
Contei-lhe a minha vida
Tão cheia de procuras
Com tantas esperanças
    A
Que ele até sorriu.
E aquele riso aberto
            G
Nos trouxe bem mais perto,
       D                     A                  D
Lavou seu preconceito de ateu.

REFRÃO

D
Por este amigo meu
Que a sua fé perdeu,
                                          A
Naquele mesmo dia eu fui rezar.
D
E a minha prece amiga
Gerou esta cantiga
Que eu fiz pensando muito
    A
Em meu país cristão.
Às vezes muita gente
G
Não crê no que acredita
       D                     A                  D
E afasta o seu irmão da religião.

REFRÃO

    Contador de Cliques