Notícias - Eliana Ribeiro

  • A castidade não é para anjos 30/11/-0001 A castidade não é para anjos

    A castidade não é para anjos, é para nós que queremos viver o caminho do Senhor. Existem meios, maneiras, para você conseguir essa graça. A busca pela santidade será até o fim da vida, nunca estaremos prontos.

    O termo “castidade”, no Catecismo da Igreja Católica, é a integração da sexualidade na pessoa. Só isso? Só, mas dentro dessa definição existe um mundo de descobertas. A sexualidade é mais do que um órgão genital. Escutamos muito sobre sexo, pornografia, libertinagem com o corpo... Hoje, homens e mulheres são vistos como objetos pela sociedade, pelas novelas, por exemplo. Isso vai contra a nossa natureza, pois viemos do amor e da bondade.

    Precisamos escolher o caminho de Deus para encontrar a verdadeira felicidade. É feliz aquele que espera no Senhor! Só é feliz por completo aquele que vive intensamente, – mesmo que lutando, caindo e levantando –, em Deus. Apenas satisfazendo os nossos prazeres seremos infelizes. Você acha que sexo com vários parceiros fará de você uma pessoa feliz? Se pensa assim, está enganado. A castidade é uma porta aberta para nos conhecermos e ficarmos felizes com nós mesmos e com os outros. Você é amado por Deus, Ele quis você antes do seu pai e da sua mãe. Honre o Seu amor!

    A castidade parte de viver o verdadeiro amor. Precisamos recuperar a beleza da criação. Depois de ter criado tudo na terra, Deus Pai viu que era bom que o homem tivesse uma mulher (cf. Gênesis 1, 25-31). O Senhor criou o homem e a mulher para se amarem e se respeitarem um ao outro, não para um se aproveitar do outro. A sexualidade vai muito além do que as novelas e a mídia passam. As coisas que se referem ao sexo não são erradas e impuras. Hoje eu quero que você saiba da importância da castidade, que saiba que é algo lindo que você pode viver!

    No Catecismo da Igreja Católica, parágrafos 2341-2345, diz assim:

    “A virtude da castidade é comandada pela virtude cardeal da temperança, que tem em vista fazer depender da razão as paixões e os apetites da sensibilidade humana. O domínio de si mesmo é um trabalho a longo prazo. Nunca deve ser considerado definitivamente adquirido. Supõe um esforço a ser retomado em todas as idades da vida. O esforço necessário pode ser mais intenso em certas épocas, por exemplo, quando se forma a personalidade, durante a infância e adolescência.

    A castidade tem leis de crescimento. Este crescimento passa por graus, marcados pela imperfeição e, muitas vezes, pelo pecado. Dia a dia o homem virtuoso e casto se constrói por meio de opções numerosas e livres. Assim, ele conhece, ama e realiza o bem moral seguindo as etapas de um crescimento.

    A castidade representa uma tarefa eminentemente pessoal. Mas implica também um esforço cultural, porque o homem desenvolve-se em todas as suas qualidades mediante a comunicação com os outros. A castidade supõe o respeito pelos direitos da pessoa, particularmente o de receber uma informação e uma educação que respeitem as dimensões morais e espirituais da vida humana.

    A castidade é uma virtude moral. É também um dom de Deus, uma graça, um fruto da obra espiritual. O Espírito Santo concede o dom de imitar a pureza de Cristo àquele que foi regenerado pela água do Batismo”.

    A sexualidade é boa, foi Deus quem a criou. O problema é a falta de equilíbrio em nós, é o pecado que a distorce. Precisamos viver o PHN ('Por Hoje Não' ao pecado) todos os dias, com a certeza de que o amor de Deus nos concederá a graça do equilíbrio e do amor a nós mesmos.

    É preciso amar para amar os outros, a obra tem que começar em você!

    Texto extraído de pregação de fevereiro de 2010:

    http://www.cancaonova.com/portal/canais/eventos/novoeventos/cobertura.php?cod=2393&pre=6381

    Eliana Ribeiro

  • Deus vai romper o silêncio!!! 30/11/-0001 Deus vai romper o silêncio!!!

    Muito tempo guardei o silêncio, permaneci mudo e me contive. Mas agora grito, como mulher nas dores do parto… “(Isaias 42,14).

    Quem nesta vida já se sentiu abandonado por Deus? Quantas vezes rezamos, rezamos e a nossa oração parece que não teve força a ponto de despertar o Senhor? Quanto silêncio da parte de Deus… Você já se sentiu assim abandonado, esquecido, excluído por aquele que aprendemos que é o supremo, o todo poderoso, que tudo pode realizar? Pois o Filho de Deus também.

    Jesus “ouviu” o silêncio do Pai, sentiu a dor do abandono e não desistiu. Pela força do Espírito, Ele foi impulsionado a ir até o fim na vontade daquele que o enviou e viu que de fato, fazendo a experiência, o Pai não o abandonou. A cruz foi a via para a vitória triunfal. O grito do Pai foi a ressurreição!

    Talvez você não entenda as situações que te fazem sofrer, chorar, talvez hoje você esteja em busca das respostas, sejam elas quais forem, mas convido você a se apoiar nesta promessa: “Eis que faço novas todas as coisas. Eu sou o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim. A quem tiver sede, eu darei, de graça, da fonte da água vivificante. Enxugarei toda lágrima dos olhos, não haverá mais morte, dor, luto, nem grito, pois o que era velho passou, eis que faço novas todas as coisas.”

    Vale a pena você ler esta passagem que está em Apocalipse 21, 1-7 e tomar posse dessa certeza de vitória que o Senhor lhe concede quando finaliza no versículo 7: “Estas coisas serão herança do vencedor e eu serei seu Deus, e ele será meu filho.”

    DEUS ROMPEU O SILÊNCIO COM A RESSURREIÇÃO.

    DEUS VAI ROMPER O SILÊNCIO EM SUA VIDA!

    O que ele espera de você é a fé! Total confiança, abandono, entrega. Faça a experiência e você verá que verdadeiramente o nosso Deus é um Deus de promessas!

    Convido você a rezar comigo essa oração de abandono nas mãos do Pai:

    Ó Pai, assim como vosso amado Filho Jesus Cristo, nosso Senhor, mesmo em meio a tanta dor e a tanto sofrimento entregou em Vossas mãos o seu espírito, eu também nesse momento me coloco diante de Ti e peço que me coloques em teus braços.

    São tantas situações, meu Deus que às vezes acabo me perdendo diante delas e não consigo enxergar que o Senhor está no controle de tudo. Mesmo nas vezes em que me sinto só, desamparada, não permita meu Deus que eu caia na tentação de achar que o Senhor não está ao meu lado.

    Dá-me a graça de um verdadeiro abandono em Ti. Ajuda-me a tomar posse da minha fé para que eu possa esperar, mesmo sofrendo, que depois de toda tempestade vem a bonança.

    Que estas provações que tenho vivido Senhor, façam com que eu me aproxime mais ainda do teu amor e da tua misericórdia.

    Que eu jamais me revolte contra Ti, pelo contrário, que eu me apegue cada vez mais ao Senhor e em Ti encontre forças para agüentar firme em todas as situações.

    Ajuda-me, meu Deus! Dá-me a tua graça, isso me basta!

    Amém!

    Nos dias 18,19,20 e 21 teremos aqui na Canção Nova em Cachoeira Paulista o acampamento de cura e libertação com o tema: “Não existe outro Deus além de mim.” (Isaías 45,5) e você meu irmão e minha irmã é convidado a estar aqui conosco.

    Deixe aqui os seus pedidos de oração para que a partir de hoje comecemos uma grande intercessão uns pelos outros e por este acampamento!

    Estamos unidos!!

    Deus nos abençoe!

    Eliana Ribeiro

  • Te dou livre acesso Senhor! 30/11/-0001 Te dou livre acesso Senhor!

    “Atenção! Vinde procurar-me, ouvi-me e tereis vida nova, farei convosco uma aliança definitiva…” Isaías 55,3

    Se as portas de seu coração se abrem, deixando entrar a luz de Deus, então começou para você um novo tempo. Já imaginou o que Deus pode fazer a partir desta abertura de coração? E você pode perguntar: mas até onde o Senhor pode entrar em meu coração? Até os recantos mais profundos. Ele quer entrar nos “quartos escuros” que andam fechados há muito tempo, áreas de sua história que lhe parecem difíceis de acolher.

    E quais são estas áreas? Seja sincero(a) consigo mesmo(a), aceite o amor deste Deus que te acolhe hoje do jeito que você se encontra. Só depende de você, Jesus está à porta, batendo, batendo e vai insistir, só vai parar quando você abrir o coração, a missão do Senhor é salvar aqueles que o Pai o confiou, isso inclui eu e você.

    Vamos lá, diga ao Senhor que sozinho (a) você não pode mais, que precisa de uma ajuda, de um braço forte, aliás somente um braço forte para te levantar novamente. Coragem, é nesta decisão que Jesus se faz presente. Renuncie a tudo que não vem do alto e assim você já estará dando ao Senhor o espaço que lhe é devido. Se for preciso dizer que não aguenta mais, que você entrega os pontos, que se rende, é isso, você está no caminho certo.

    Não permita mais que as situações difíceis, os problemas, o medo, o pecado te mate e lhe impeça de fazer a experiência. É o contrário: faça primeiro a experiência, dê uma chance ao Senhor, mesmo que esta seja a última que você queira dar a alguém, e então você até viverá os desafios próprios mas verá que uma força te acompanhará, te sustentará, a alegria estará estampada em sua face e em seus gestos e todos verão que verdadeiramente o Cristo resplandece em você.

    Quero lhe ajudar nesta decisão oferecendo a você esta canção que está no meu cd Espera no Senhor:

  • Deus vê o coração 30/11/-0001 Deus vê o coração

    Usastes palavras duras comigo, diz o Senhor. Dissestes: ‘Não vale a pena servir a Deus! Que proveito se tira guardando seus mandamentos, ou caminhando amargurado na presença do Senhor? Pois, então, vamos dar os parabéns aos atrevidos, eles progridem praticando injustiças, desafiam a Deus e acabam salvando-se.’

    Mas os que têm o temor do Senhor conversaram cada qual com o companheiro. O Senhor prestou atenção e atendeu. Escreveu-se, então, na presença dele um livro de memórias em favor dos que têm o temor do Senhor e consideram o seu nome. Estes – diz o Senhor dos exércitos -, quando eu resolver agir, serão minha propriedade particular, serei bom para eles assim como um pai é bom para o filho que o serve. Podereis ver novamente a diferença que existe entre uma pessoa justa e uma injusta, entre aquele que tem o temor do Senhor e aquele que não o tem.”

    Quem é que não se questionou nesta vida sobre o tratamento de Deus em relação aos que servem a Ele e aos que são infiéis. Quem é que não se perguntou, ou até levou pra frente o questionamento: Porque isso acontece comigo que sirvo a Deus, estou na caminhada e aquele meu vizinho que é tão depravado, viciado, injusto, etc só prospera, cresce na vida? Longe de nós o julgamento mas com os pés no chão é exatamente o que os olhos vêem, porém preciso lhe dizer: Deus vê o coração!

    A resposta está nesta passagem.

    Se você está desgastado na sua vida de oração, no serviço pastoral, no seu casamento, nos negócios, com os filhos, nos estudos, enfim, você sabe mais que eu, meu querido, minha querida, busque ajuda em Deus, com os irmãos da comunidade, se não tem forças para rezar, peça que alguém reze por você, busque a confissão, a reconciliação, retome a sua vida com todas ou as poucas forças que lhe restam e Deus virá em seu socorro. Se apóie nesta palavra que você acabou de ler pois é a promessa de Deus para você neste dia como está sendo para mim, mas, jamais, repito JAMAIS corrompa o seu coração. Seja fiel até o fim, o Pai lhe recompensará. Esforce-se, gaste as energias, noites de sono e descanso se for preciso, mas não se deixe envolver por esta nuvem negra, por esta opressão, pelo pecado. Deus lhe concederá os meios, o remédio certo para a sua cura, proverá tudo o que lhe é necessário para a sua salvação. Mais que nos dar coisas, nos aliviar, nos curar, o interesse do Senhor sobre nós é a nossa salvação. Sim, Ele nos dá coisas, nos consola , nos cura, e fará muito mais se o fim for a nossa salvação. O inimigo quer nos enfraquecer para nos destruir, e destruir a obra de Deus em nós. Não dê ouvidos a ele, não se deixe levar pelo negativo, pela comparação, REAÇÃO é a ordem do Senhor para nós! Seja fiel pois quando Ele resolver agir…

    Unida em oração

    Eliana Ribeiro

  • Você tem medo? Então deixa Deus cuidar… 30/11/-0001 Você tem medo? Então deixa Deus cuidar…

    O medo é um sentimento que proporciona um estado de alerta demonstrado pelo receio de fazer alguma coisa, geralmente por se sentir ameaçado, tanto fisicamente como psicologicamente. Pavor é a ênfase do medo.

    Quem é que não tem? São tantos não é mesmo?

    Olá meus queridos, gente linda. Esta semana vi uma pessoa muito especial passar por isso, na realidade foi mais que medo, foi pavor. Sinceramente me senti compadecida e ofereci a minha oração, ao rezar Deus foi revelando que era preciso pedir a libertação das raízes do medo na vida daquela pessoa, pois esse sentimento estava causando angústia, tristeza, dor e paralização. Ela estava paralizada na fé e na vontade, não conseguia acreditar que era possível sair daquele estado. Pense estar diante de uma pessoa assim… Só Deus para livrá-la naquela hora e foi pela oração, e é isso que quero partilhar pois pode ser que você esteja assim, acuado, paralizado, impedido de dar passos, tomar decisões. Talvez precise até procurar uma ajuda profissional, um psicólogo, mas primeiro dê uma chance pra Deus, deixa ele cuidar…

    Deus colocou em nossos corações três revelações importantes: a primeira, a busca pela cura e libertação dos nossos traumas, das raízes do medo em nós. E onde buscar esta cura? Na terapia de oração com os irmãos através de retiros ou atendimentos, no sacramentos, na leitura orante da palavra e nos atos concretos (você vai vencer lutando). A segunda é a presença de Nossa Senhora em nossas vidas, a permissão que damos a ela para cuidar de nós. E foi nesse momento da oração que me recordei da história de Nossa Senhora de Guadalupe quando o índio Ruan Diego antes da quarta aparição “fugia” de Nossa Senhora pois uma peste havia atingido a cidade e seu tio encontrava-se enfermo e Ruan precisava visitá-lo. Nossa Senhora lhe apareceu dizendo: “Escuta meu filho, nada deve amedrontar ou afligir você. Não deixe seu coração perturbado. Não tema esta ou qualquer outra enfermidade, ou angústia. Eu não estou aqui? Quem é sua mãe? Não tema esta ou qualquer outra enfermidade ou angústia. Eu não estou aqui? Eu não sou sua saúde? Você não está feliz com o meu abraço? O que mais pode querer? Não tema nem se perturbe com qualquer outra coisa. Não se aflija por esta enfermidade de seu tio, por causa disso, ele não morrerá agora.” E de fato o seu tio ficou curado.

    Que maravilha, temos uma mãe por nós, que cuida de nós. Não precisamos ter medo se confiamos nossa vida toda inteira a Ela.

    O terceiro momento forte da oração foi quando me veio ao coração somente um versículo de um salmo: ”Tu que estás sob a proteção do Altíssimo e moras à sombra do Onipotente…” e eu disse: Eu não consigo me recordar qual é este salmo mas o Senhor está dizendo que pela oração diária com ele você vai fortalecer a certeza de que Deus está contigo e não te deixará, por isso venha o que vier, você não terá medo.

    Encerramos a oração louvando o Senhor pela sua obra, por revelações tão práticas mas inspiradas.

    Quando retomei tudo o que havia vivido naquela oração, fiquei impressionada com o tamanho do amor de Deus por nós. Meus irmãos o Senhor é por nós, Ele se revela por inteiro, nos orienta por que nos ama e não nos quer sofrendo, indica pistas para vivermos bem. Aplicando em nossas vidas tudo o que a sua palavra nos diz é impossível alguém ainda se sentir abandonado por Ele. Deus cuida de nós, tudo está em Suas santas mãos. Obrigada Senhor!

    Foi por isso que eu não puder reter tanta riqueza para mim e para aquela pessoa. Inclusive ontem no Hallel no módulo Maria também falei sobre isso e quantas graças aconteceram ali.

    Se você tem medo, e todo mundo tem, deixa Deus cuidar… Ofereço a você o salmo que o Senhor inspirou naquela oração:

    Salmo 90

    Tu que estás sob a proteção do Altíssimo e moras à sombra do Onipotente,

    dize ao Senhor: ” Meu refúgio, minha fortaleza, meu Deus em quem confio.”

    Ele te livrará do laço do caçador, da peste funesta;

    ele te cobrirá com suas penas, sob suas asas encontrarás refúgio.

    Sua fidelidade te servirá de escudo e couraça.

    Não temerás os horrores da noite, nem a flecha que voa de dia,

    nem a peste que vagueia nas trevas, nem a epidemia que devasta ao meio dia.

    Cairão mil ao teu lado e dez mil à tua direita; mas nada te poderá atingir.

    Basta que olhes com teus olhos, verás o castigo dos ímpios.

    Pois teu refúgio é o Senhor; fizeste do Altíssimo tua morada.

    Não poderá te fazer mal a desgraça.

    Nenhuma praga cairá sobre tua tenda.

    Pois ele dará ordem a seus anjos para te guardarem em todos os teus passos.

    Em suas mãos te levarão para que teu pé não tropece em nenhuma pedra.

    Caminharás sobre a cobra e a víbora, pisarás sobre leões e dragões.

    “Eu o salvarei, porque a mim se confiou; eu o exaltarei, pois conhece meu nome.

    Ele me invocará e lhe darei resposta; vou salvá-lo e torná-lo glorioso.

    Vou saciá-lo com longos dias e lhe mostrarei minha salvação.”

  • Eliana Ribeiro fala sobre missão em Portugal 30/11/-0001 Eliana Ribeiro fala sobre missão em Portugal

    "'Nossa Senhora os acolhe no altar do mundo!'

    Altar do mundo! Lugar da presença de Deus, lugar da presença da Mãe. Verdadeiramente o céu se faz presente aqui! Foi esta a frase que os nossos irmãos usaram para nos acolher (eu e o Fábio) aqui em Portugal. De fato, nos sentimos muito bem acolhidos pelos irmãos e principalmente pela Mãe.

    Deixar nosso país, nossas famílias, nossos amigos, nossa casa novinha (pois casamos há pouco tempo), nossa cultura, é perder. E perder é algo que ninguém quer, ninguém aceita; dói, provoca lágrimas. Seja qual for a perda, ela é marcante em nossas vidas. E olha que já perdi muitas coisas, pessoas, tempo... enfim, perdi. Mas quando temos os olhos voltados para o Senhor, me parece que é diferente, pois não perdemos simplesmente, perdemos para ganhar.

    Quando perdi meu pai, por exemplo, foi muito sofrido, até hoje eu sinto, sinto saudade, muita saudade... Mas, com certeza, depois deste fato eu amadureci, em todos os sentidos, como mulher, como irmã de comunidade,como ministra de música, me tornei mas humana, mais gente. Percebi que há um antes e um depois Eu mudei e mudei para melhor.

    Vir para Portugal parece que é perder o Brasil, perder a família, os irmãos, a casa nova. Não. Amigos, estou ganhando. Na realidade ESTAMOS! Eu e o Fábio estamos ganhando, mais uma vez estamos ganhando. A nossa missão é evangelizar, é formar homens novos para um mundo novo, é usar dos meios que o próprio Deus utiliza para GANHARMOS ALMAS para o Senhor. Esta é a razão das perdas: ganhar! Só sente o sabor da vitória quem experimentou a dor da perda.

    Se perguntarem para nós, Comunidade Canção Nova de Portugal: “Brasileiros, porque vieram?” Responderemos: “Vimos ganhar almas para o Senhor. Deixamos tudo para ganhar as benditas almas que já estão na “garganta do lobo”! E vamos ganhar. Afinal de contas, quem vai à nossa frente não é nada mais, nada menos que a Mãe de Deus e nossa, a Virgem de Fátima, a Mulher das vitórias, a Vencedora das batalhas.

    'Somos gratos a Ti, ó Mãe, por esta oportunidade; por se fazer tão presente em nossas vidas, a ponto de nos trazer para cá. Ensina-nos a viver como escolhidos, indique o caminho a seguir, passe à frente. Amém.'

    Com certeza, vamos nos encontrar mais vezes aqui no portal. Este será o nosso ponto de encontro. Queremos contar as novidades, como a que aconteceu no dia 11 de outubro. O Padre Stan Fortuna esteve aqui na TV de Portugal para gravar um programa e convidou-nos para acompanhá-lo numa apresentação na cidade de Coimbra. O Fábio teve uma participação mais que especial tocando teclado enquanto o Padre dava um show de interpretação, irreverência, humor e espiritualidade para os portugueses. No meio do show ele me convidou para cantar duas músicas, 'Meu lugar' e 'Ao teu encontro'. Foi emocionante!

    Por várias vezes ele divulgou a Canção Nova, o nosso trabalho, se fez parceiro, se fez irmão! Ah! Inclusive ele estará aí no Brasil, nos dias 03, 04 e 05 de dezembro na inauguração do novo Rincão e você não pode ficar de fora deste mega evento!

    Vou ficando por aqui.

    Como dizem os portugueses: Até logo!

    Com carinho,

    Eliana Ribeiro

    Canção Nova – Portugal

    fonte: Canção Nova

  • Testemunho de Eliana Ribeiro 30/11/-0001 Testemunho de Eliana Ribeiro

    Eu sou Eliana Ribeiro, e para quem não me conhece, moro aqui na Comunidade Canção Nova desde 1999 e sou muito feliz.

    Aos quatorze anos, comecei a sair, beber e fumar. Eu até ia para a Igreja, para o grupo de adolescentes, mas eu ainda não tinha tido um encontro com Jesus.

    Eu tive experiência com o álcool, onde eu bebia muito, bebia até cair. Minha afetividade era toda bagunçada, e eu chegava a ficar com até cinco meninos numa noite. Com tudo isso, tinha insônia, misturava remédio com bebida, era muito revoltada, Quebrava as coisas em casa e só faltava bater na minha mãe. Quando eu saía, falava que voltaria num horário, e não voltava. Mudava de balada de tanto que eu tinha bebido, e meus pais não achavam.

    Minha mãe em uma dessas noites me esperando voltar para casa, porque já não tinha me encontrado, começou a rezar o terço e rezava enquanto eu não chegava. Quantas vezes eles me encontravam caída no bar. Minha mãe sempre pedia no terço para que Nossa Senhora fizesse alguma coisa por mim.

    Em uma confissão, porque minha mãe vivia pedindo para que as pessoas na Igreja rezassem por mim, o padre disse a minha mãe que ela comprasse uma imagem de Nossa Senhora e colocasse no meu quarto, e ela fez exatamente isso.

    No meu quarto era cheio de fotos de caveira, de bandas de rock, de esqueleto atrás da porta. Eu gostava de bandas que falassem mal da Igreja, e em meio a tudo aquilo, minha mãe colocou a imagem de Nossa Senhora.

    Eu arrumei um namorado. Minha mãe não concordava, mas eu passei por cima de todos, e nesta revolta, tomei álcool de cozinha com um resto de vinho. Comecei a passar mal e achava que ia morrer. Naquela hora eu fui até a imagem e debaixo dela tinha uma oração que minha mãe tinha colocado e eu não tinha visto. Só o que eu via era uma escuridão e lá no fim eu via uma luzinha, mas me arrastando eu consegui chegar na sala e ligar para uma amiga que me levou para o hospital.

    Naquele dia minha mãe não tinha me deixado sair porque ela queria me levar, nem que fosse arrastada, para um encontro com um tal de padre Léo. No dia seguinte que eu já tinha voltado do hospital e pedi a minha mãe que me levasse naquele encontro. Lá eu fiquei sozinha. Não quis ficar com ninguém.

    Eu nunca tinha visto aquele padre, ele pedia que eu fechasse os olhos e me lembrasse daqueles que nós precisávamos perdoar. Eu me lembrei dos meu pais, e comecei a chorar, porque ali havia todo uma história, e eu precisava perdoá-los por causa da ausência deles na minha vida.. Meu pais queriam dar o melhor colégio, queriam dar coisas materiais, mas eram ausentes.

    E conforme o padre ia rezando eu comecei a rezar, e disse que perdoava meus pais, e naquele momento comecei a rezar em línguas, fui batizada no Espírito Santo naquele momento. O padre pediu que abraçassemos quem estivesse do nosso lado. Eu abracei um jovem, e depois que abracei eu vi minha mãe e meu pai entrando. Naquela hora eu os abracei e os perdoei.

    Aquela experiência mudou a minha vida. Mas eu queria mais. Eu estava em processo, estava dando os meu passos e ainda tinha as minhas recaídas, mas o meu desejo era por Deus. Eu tinha o desejo de ir a Missa todos os dias.

    Em um bendito dia, quando o rapaz que eu namorava me chamou para conversar, tinha dois dias que ele não me ligava. Eu já tinha fumado maconha com ele, feito horrores na área afetiva e sexual. Achava que ele era o homem da minha vida. Então ele me disse que não queria mais nada comigo, e disse: "Você para mim é uma prostituta". Eu não acreditava no que ouvia, fiquei em estado de choque e sem chão, porque eu tinha colocado a minha confiança nele, e sem rumo eu fui para casa.

    Quando cheguei no meu quarto, fui exatamente na imagem de Nossa Senhora. Eu nem sabia rezar o terço, mas disse assim para aquela imagem: "Eu sei que o que estou vendo aqui é uma imagem, mas se a Senhora existe mesmo, no dia de hoje, eu estou consagrando a minha afetividade e a minha sexualidade, se essa pessoa é a pessoa de Deus para mim, a Senhora peça a Jesus que o converta, como Deus fez na minha vida, mas se não for, que eu nunca mais veja essa pessoa. E se for da vontade de Deus que eu me case, que eu namore e me case, porque eu não quero mais 'ficar', e quando aparecer eu quero me casar, e se não for a pessoa, que a Senhora abra os caminhos para aquilo que Deus quer". Eu fui muito sincera com Nossa Senhora, e a partir dali eu comecei a rezar o terço e a me empenhar em buscar a vontade de Deus.

    Entrei de cabeça na Igreja, entrei na faculdade e aqueles meus amigos foram se afastando. Eu saía de casa só para ir para escola, casa e Igreja. Como Deus foi me fazendo forte cada dia mais. Eu já não bebia, não fumava. Meu relacionamento com meus pais foi se tornando cada vez mais sólido, cada vez mais transparente. Eles foram para a Igreja e eu comecei a cantar na Igreja.

    Até que um dia eu senti um vazio e já fui dizendo ao Senhor o que estava acontecendo comigo, parecia que eu queria mais. Então eu vim para um encontro aqui na Canção Nova, onde Dom Alberto Taveira, falava da vida consagrada em uma comunidade, e ali eu fui muito tocada, voltei para casa e escrevi para a Canção e me pediram para fazer um caminho vocacional.

    No último dia do curso de informática que eu estava fazendo porque eu precisava estar trabalhando para vir para a comunidade, em casa rezando o terço, o padre Onório me ligou me chamando para dar aula para os alunos dele, e naquele momento eu vi um sinal de Deus, e que Nossa Senhora tinha atendido minha oração.

    Um belo dia já aqui na Canção Nova, cantando no ministério de música, começou se aproximar de mim um rapazinho, e eu percebi que não era só amizade. Mas seis anos rezando, e não aparecia a pessoa, eu comecei a achar que eu ia ser celibatária. E um belo dia esse rapaz chegou em mim e disse assim: “ Eliana eu estou gostando de você”. Eu respondi: “Parabéns para você, porque eu não". Eu não queria, não era o tempo, e já disse: "Acho melhor nos afastarmos”.

    Eu fui na minha formadora e contei, ela me disse para me aproximar do Fábio. Eu tive momentos difíceis, mas ali parecia que era o mais difícil. Eu ia para a capela, e dizia: "Senhor eu não quero, eu vou ser celibatária". E na oração de cura interior, na adoração, Deus foi me curando.

    Eu vivi um processo de nove meses com o Fábio, só na amizade sem falar de sentimentos, e em junho de 2000 comecei a namorar, o Fábio não era da comunidade. Ele entrou no mesmo processo que eu, e fez o caminho para entrar na comunidade.

    Depois, já namorando, fomos passar o natal na casa dos meus pais, o Fábio foi comigo, e voltando para o acampamento, meu pai estava nos trazendo, e no carro ele ouvia a musica do padre Fabio e cantava Maria porta do céu. Mal sabia ele que naquela hora meu pai iria conhecer Nossa Senhora, e o carro bateu e meu pai faleceu. Eu me machuquei muito e tive que ficar afastada três meses da comunidade.

    Eu pudia ter me afastado, mas escolhi abraçar a cruz com Cristo. Fiquei quarenta e cinco dias em cima da cama, sem poder me mover. E neste tempo de dor o Fábio e eu resolvemos não murmurar.

    O padre Léo que um dia eu encontrei em 1993, nos convidou para uma assembleia em Portugal. E lá em Lisboa a Ilda muito tocada com o meu testemunho me disse que Nossa Senhora lhe pedia que ela nos desse as alianças de presente. E no dia quatorze de maio, um dia depois do dia de Nossa Senhora de Fátima, nós nos casamos.

    Tudo isso para mostrar que depois daquela consagração que eu fiz a nossa Senhora, eu nunca mais me senti sozinha, e nos momento mais difíceis alguém sempre me entregava uma imagem de Nossa Senhora.

    Eu nunca tive dúvidas de que a minha relação com a Virgem Maria, até mesmo no terço, é uma relação de intimidade. E a Nossa Senhora Aparecida eu dediquei o meu primeiro CD e o segundo eu dediquei a nossa Senhora de Fátima.

    Depois fomos remanejados para Portugal e por causa do acidente, o Fabio sentia muita dor, mas lá não conseguimos fazer a cirurgia, mas voltando ao Brasil, no Hospital de Taubaté encontramos o médico que trouxe a técnica para da prótese de titânio, e o Fábio fez a cirurgia, e hoje o Fábio é uma outra pessoa. E tudo isso para dizer que a Virgem Maria nunca nos abandona e todos aqueles a quem Jesus confiou naquele bendito momento na cruz, nós somos de Maria.

    E por isso somos tão tentados, mas precisamos recorrer a ela, a medianeira de todas as graças.

    Não tenha medo de se consagrar a ela, não tenha medo de pedir a intercessão dela. Eu devo a minha vida a esta mulher, a Virgem Maria.

    --------------------------------------------------------------

    Eliana Ribeiro

    Missionária da Comunidade Canção Nova. Cantora e apresentadora de TV

    fonte: http://www.atos9.com.br/blog/?p=13

Publicidade Publicidade

Contador de Cliques